Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

SÍNDROME DE TAKOTSUBO SECUNDÁRIO A CRISE CONVULSIVA - RELATO DE CASO

Jessica Picinin Cardoso, LORRAINE LORENE FELIX CARDOSO, Pedro Perillo Magalhães Disconzzi de Sá, Henry Campos Orellana , Edgar Rossi Depieri, Danielle Navarro Sato, Michelle Gonçalves Birtche, João Paulo dos Santos Barenco Pinto , Marcos Damião Candido Ferreira, Rafael da Nóbrega Oliveira
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução: A Síndrome de Takotsubo (ST) é caracterizada por disfunção transitória do ventrículo esquerdo com alterações eletrocardiográficas e aumento de marcadores de necrose miocárdica, mimetizando infarto agudo do miocárdio mas sem doença arterial obstrutiva. 
Relato de caso: Paciente feminina, 73 anos, hipertensa, diabética, ex-tabagista, deu entrada em serviço de emergência apresentando crises convulsivas tônico-clônicas generalizadas sendo necessário sedação para controle de estado de mal epiléptico. Em avaliação complementar, foi realizado tomografia de crânio sem alterações e eletrocardiograma (ECG - figura 1) com inversão simétrica de onda T difusa e extrassístoles ventriculares isoladas levando a investigação com marcadores de necrose miocárdica positivos e ascendentes (troponina ultrassensível). Ao ecocardiograma transtorácico evidenciou-se ventrículo esquerdo com acinesia apical e fração de ejeção de 38%, sendo último exame realizado há 4 anos, sem alterações. Mesmo na ausência de precordialgia, cogitando-se o infarto agudo do miocárdio como hipótese diagnóstica adjacente ao quadro epiléptico, optou-se pela realização de cineangiocoronariografia (figura 2), sendo evidenciado artérias coronarianas isentas de estenoses e ventriculografia esquerda com disfunção sistólica às custas de acinesia apical associada a hipercinesia da região basal. Desta forma, sendo diagnosticada a ST secundária ao estado de grande mal epiléptico. Paciente ficou internada durante 9 dias, foi iniciado tratamento clínico para insuficiência cardíaca, recebeu alta com terapia otimizada e seguimento ambulatorial. 
Discussão: A ST foi descrita inicialmente em 1990 na população japonesa como uma condição que afeta mulheres na pós menopausa precipitada por eventos emocionais levando a disfunção ventricular esquerda. Atualmente sabemos que estresse físico também pode servir de gatilho para a doença, entre eles as doenças neurológicas principalmente hemorragia subaracnóide e crises convulsivas tem mostrado importante associação com a ST. No entanto, nem sempre o diagnóstico é fácil pois nesses casos é menos frequente a sintomatologia clássica com dor torácica, fato semelhante ao caso relatado. Conclusão: A ST é uma doença complexa ainda em estudo que tem mostrado mais recentemente uma gama de fatores predisponentes. Devemos nos atentar para as manifestações incomuns da doença para início de terapia precoce adequada, a monitorização com ECG e troponina foi fundamental para o diagnóstico nesse caso 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil