Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO ERAS NA CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO COM CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA

Amanda Rennó El Mouallem, Aline Rennó El Mouallem, Gabrielle Barbosa Borgomoni , Gianni Manzo, José Carlos Teixeira Garcia , Livia Maria Merlo , Marcio Campos Sampaio, Mariana Yumi Okada, Omar Asdrúbal Vilca Mejíla , Valter Furlán
HOSPITAL TOTALCOR - São Paulo - SP - Brasil

 

Introdução: O ERAS “Enhanced Recovery After Surgery” impactou o modelo cirúrgico tradicional reduzindo morbimortalidade. Descrevemos aqui uma cirurgia de revascularização miocárdica (RM) cuja duração total do Perioperatório foi de 44 horas(h). Descrição: Masculino, 69 anos, professor, portador de doença coronariana padrão triarterial, sintomático, com indicação de RM. Por 30 dias, passou por um plano educacional, junto com familiares. Na enfermaria, pré-cirúrgica, onde permaneceu por 8h, manteve-se em jejum por apenas 6h e recebeu maltodextrina 3h antes do inicio do procedimento. O tempo total de permanecia no centro cirúrgico foi de 5h, utilizou-se dose mínima de narcóticos de curta duração e sedativos, além de bloqueio anestésico local. A pressão expiratória final positiva manteve-se em 3mmHg e houve recrutamento pulmonar para proteção do órgão. A monitorização ocorreu através da temperatura naesoesofágica e atividade cerebral pela tecnologia índice bispectral. A circulação extracorpórea teve todas as linhas encurtadas com propósito de reduzir a hemodiluição. A perfusão totalizou 35 minutos, com anóxia de 26 minutos. As pontes foram artéria mamária esquerda para artéria descendente anterior e veia safena para artéria coronária direita. No pós-operatório, a extubação, nutrição oral e mobilização foram precoces, assim como retirada de sonda, cateteres e drenos, respeitando o tempo estabelecido para cada fase. O uso de opióides foi restrito. O paciente teve alta da unidade de terapia intensiva após aproximadamente 19h de sua chegada em bom estado geral. Na enfermaria, foi intensificada as visitas e comunicação entre a equipe multidisciplinar e, sem complicações, recebeu alta hospitalar após 44h da internação. Em 24h após a alta foi feito contato telefônico e em 72h reavaliação presencial além de monitoramento e seguimento do doente. Discussão: O protocolo ERAS diz respeito a uma série de considerações, baseadas em evidências, sobre o impacto da abordagem multidisciplinar para acelerar os processos perioperatórios. Esta otimização visa preservar o estado fisiológico do paciente e incentivar a recuperação rápida, diminuindo complicações e custo. É multiprofissional e centrado no paciente. A filosofia é disruptiva, quebrando paradigmas e confrontando medidas tradicionais já pré-estabelecidas através de protocolos seguros e eficazes. Este relato tem como objetivo incentivar o aprimoramento nos cuidados de saúde, mantendo qualidade e a segurança dos pacientes através da demonstração de que a um perioperatório <48h é possível quando bem executado.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil