Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Metaloproteinases e Dissecção Espontânea Da Artéria Coronária: Uma Meta-análise

Eliana Migliorini Mustafa, Maria Christiane Valéria Braga Braile-Sternieri, Victor Rodrigues Ribeiro Ferreira, Sofia Braile Sabino, Giovanni Braile Sternieri, Lúcia Angélica Buffulin de Faria, Bethina Canaroli Sbardellini, Cibele Olegário Vianna Queiroz, Idiberto Jose Zotarelli Filho, Domingo Marcolino Braile
Instituto Domingo Braile - São José do Rio Preto - SP - Brasil

Introdução: A dissecção espontânea da artéria coronária (DAC) pode ser um preditor de displasia fibromuscular (DF). Há um predomínio acentuado em mulheres caucasianas, magras, de 15 a 50 anos, de 75,0 a 100,0% dos casos, com idade média entre 30 e 55 anos. Nesse context, as enzimas metaloproteinases de matriz (MMP2 e MMP9) podem ter importante influência na causa da DAC. Objetivo: O presente estudo objetivou realizar uma meta-análise sobre a incidência de ação das metaloproteinases de matriz 2 e 9 no contexto da DF e DAC. Métodos: Seguiu os critérios de busca literária com o uso dos “mesh terms” metaloproteinases; displasia fibromuscular; dissecção espontânea da artéria coronária; estudos clínicos. Um total de 104 artigos que foram submetidos à análise de elegibilidade foram pré-analisados, sendo selecionados 26 estudos para compor o presente estudo. O protocolo de revisão baseou-se nos critérios de busca literária com uso dos descritores supracitados nas principais bases de dados como PubMed, Medline, Bireme, EBSCO e Scielo. Resultados: A meta-análise mostrou que a DAC é causa potencialmente fatal (50% morte súbita), causando infarto agudo do miocárdio com estimativa de incidência nas cineangiografias entre 0,04% e 0,20%. Além disso, em nível molecular, os estudos mostraram que a DAC está relacionada com a expressão das MMP2 e MMP9 e a consequente degradação da elastina. Como resultado, A fragmentação das fibras elásticas nas coronárias deve-se ao desequilíbrio entre as essas enzimas sobre os seus inibidores TIMP1 e TIMP2. Isso sugere ser a principal causa da patologia e a homeostase enzimática a forma de tratamento. Conclusão: O aumento da concentração das metaloproteinases de matriz podem ser a principal causa da dissecção espontânea da artéria coronária.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil