Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Correlação de diferentes métodos de imagem em pacientes submetidos a angioplastia com stent dedicado para bifurcação

Nunes, David de A., Costa, Ricardo A., Zukowski, Cleverson, Chamie, Daniel, Jr., Jose Ribamar Costa, Siqueira, Dimytri, Staico, Rodolfo, Tanajura, Luiz Fernando, Abizaid, Alexandre, Feres, Fausto
INSTITUTO DANTE PAZZANESE DE CARDIOLOGIA - - SP - BRASIL

Introdução: Cerca de 20% das intervenções percutâneas envolvem bifurcação, sendo um assunto de interesse devido a menor taxa de sucesso do procedimento (< 90%) e taxas relativamente elevadas de recorrências no seguimento tardio. A compreensão dos mecanismos de falência são fundamentais para o aprimoramento da intervenção coronária percutânea (ICP). Os métodos de imagem invasivos como ultrassom intracoronário (USIC) e  tomografia de coerência ótica (TCO) são utilizados para avaliar a eficácia e segurança tardia de dispositivos coronários. O nosso objetivo foi avaliar a correlação destes métodos à angiografia coronária quantitativa (ACQ) em lesões de bifurcação coronária tratadas com stents dedicados a bifurcação.

Métodos: Estudo prospectivo, não-randomizado, de braço único, envolvendo um centro clinico que avaliou a correlação entre diferentes métodos de avaliação de imagem (ACQ, USIC e TCO) na avaliação tardia (9 meses) de pacientes com lesões de bifurcação tratados com o stent farmacológico liberador de sirolimus dedicado BiOSS. Foram incluídos 35 pacientes (36 lesões) tratadas entre Jan/16 a Fev/17.

Resultados: A maior parte das lesões (69%) envolveram bifurcação na artéria descendente anterior. Em relação ao envolvimento dos segmentos da bifurcação, 42.2% foram classificadas como lesões verdadeiras (Medina 111 11.1%, 011 22.8%, e 101 8.3%). Em relação a técnica de tratamento, a estratégia provisional foi planejada na totalidade dos casos, sendo necessário o implante de stent no ramo lateral em 25% dos casos. No reestudo protocolar aos 9 meses, realizado em 100% dos casos, a perda tardia do lumen (PTL) no vaso principal e no ramo lateral foram, respectivamente, 0,29 mm e 0,18 mm. Considerando os subsegmentos intra-stent proximal, carina e intra-stent distal no vaso principal, a PTL foi 0,23 mm, 0,29 mm e 0,33 mm, respectivamente; ja a área minima do lúmen (AML) pelo TCO e USIC foram, respectivamente, 8,60 mm2 e 5,68 mm2, 8,18 mm2 e 5,32 mm2, e 6,29 mm2 e 3,99 mm2. Pelo metodo de Pearson, a TCO e o USIC demonstraram elevada correlaçãoo para as medidas de AML (r = 0,75; p < 0,05) no segmento intra-stent e área minima do stent (r = 0,79). Ja a ACQ não demonstrou correlação significativa com os métodos invasivos.

Conclusões: Nesta investigação, os métodos de imagem invasivos (TCO e USIC) demonstraram alta correlação em termos de AML e área mínima do stent em lesões de bifurcação tratadas com stent farmacológico dedicado..

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil