Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Impacto da Liraglutida na recuperação miocárdica pós Infarto Agudo do Miocárdio. Existem evidências?

Amanda Patissi Giacomelli Leal, Marcio Fabiano Chaves Bastos
Universidade Positivo - Curitiba - Paraná - Brasil

Introdução: Diversos fatores podem afetar a evolução de pacientes acometidos por Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) - dilatação ventricular, fibrose miocárdica, disfunção ventricular e a insuficiência cardíaca. A liraglutida é agonista do receptor do peptídeo-1, usada no tratamento de diabetes mellitus tipo 2 e pode contribuir para o tratamento do IAM e melhorar o seu prognóstico. 

Objetivo: Realizar uma revisão bibliográfica e comparar os dados obtidos, acerca do impacto da Liraglutida na recuperação do músculo cardíaco pós IAM. 

Métodos: Revisão de literatura com pesquisa nas bases de dados eletrônicas: PubMed e Scientific Electronic Library Online. Foram usadas as palavras chaves: “Myocardium”, “Liraglutide”, “recovery”, “myocardial infarction”, “acute myocardium infarct”. Foram obtidos 1179 artigos, desses 26 foram incluídos na análise. Estudos com outros fatores associados foram omitidos.

Resultados: Foram estudados 19 artigos. Desses, 17 apontaram uma associação benéfica da Liraglutida para o músculo cardíaco. O estudo “Lack of Effect of Prolonged Treatment with Liraglutide on Cardiac Remodeling in Rats After Acute Myocardial Infarction”, descreve que 138 ratos sprague dawley foram induzidos a infartos de miocárdio sem reperfusão e tratados por 4 semanas com Liraglutida. Não houve impacto na remodelação cardíaca, de acordo com exames complementares. Na meta-análise “Efficacy of Liraglutide Intervention in Myocardial Infarction: A Meta-Analysis of Randomizes Controlled Trials”, analisaram-se 4 ensaios clínicos randomizados com 469 pacientes. O desfecho teve associação positiva da Liraglutida com a melhora significativa da função ventricular esquerda, mas não teve impacto em eventos cardiovasculares adversos maiores, recorrência de infarto, nova revascularização ou morte cardíaca.  No estudo “Effects of Liraglutide on Reperfusion Injury in Patients with ST-Segment-Elevation Myocardial Infarction”, 96 pacientes passaram por uma intervenção coronária percutânea de emergência, sendo randomizados para receber Liraglutida ou placebo. O estudo evidenciou que a Liraglutida diminui o tamanho do infarto após uma isquemia, possivelmente reduzindo a lesão de reperfusão.  

Conclusão: A maioria dos estudos tiveram evidências associando a Liraglutida como terapia adjuvante, causando melhora na função ventricular após o IAM. Contudo, são necessários estudos complementares mais elaborados para tal afirmação.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil