Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Variáveis demográficas e comorbidades associadas com maior chance de controle da pressão arterial

Cesar Minelli, Daiane Naira Palma , Lucileni Aparecida Borin, Caroline Cristine Carvalho, Amanda da Silva Pereira
Centro Neurológico de Pesquisa e Reabilitação - Matão - São Paulo - Brasil, Hospital Carlos Fernando Malzoni - Matão - São Paulo - Brasil

Introdução: A porcentagem de hipertensos com pressão arterial (PA) controlada na população brasileira é menor quando comparada com as mesmas taxas de países desenvolvidos. A identificação dos fatores associados com um maior controle da PA é fundamental para o planejamento de políticas públicas de saúde. O objetivo deste estudo foi identificar quais variáveis sócio-demográficas e comorbidades  estariam associadas a um melhor controle da PA em moradores atendidos pelo programa ESF, acima de 35 anos.

 

Métodos: As informações foram colhidas por agentes comunitários de saúde, através do preenchimento de um questionário estruturado para a entrevista dos moradores, entre fevereiro de 2018 a janeiro 2019. Foram consideradas variáveis preditoras: sexo, faixa etária (35-44, 45-54, 55- 64, 65-74, ≥ 75anos), anos de educação, etnia e  presença ou ausência de etilismo, tabagismo, prática de atividade física,   acidente vascular cerebral e  infarto agudo do miocárdio (IAM). A  variável dependente “PA controlada” foi definida como histórico prévio de hipertensão arterial, em uso de medicamentos anti-hipertensivos e PA sistólica < 140 mmHg e PA diastólica < 90 mmHg. Para análise estatística foi utilizado o teste de regressão logística binária, sendo os resultados significativos se p<0,05.

 

Resultados: De um total de 2089, foram excluídos 222, devido informações incompletas, sendo a amostra final para análise os questionários de 1867 moradores. As variáveis favoráveis para PA controlada foram sexo feminino [OR = 1,5; I.C.95% (1,2 – 1,8)], tabagismo [OR = 0,7;  I.C.95% (0,5 – 0,9)], etilismo [OR = 0,7;  I.C.95% (0,5 – 0,9)], antecedente de diabetes [OR = 1,8; I.C. 95% (1,4 – 2,3)]e IAM [OR = 2,3; I.C. 95% (1,5 – 3,6)]. Considerando 35 a 44 anos como a faixa etária de referência, houve uma maior chance de controle da PA com o aumento da idade de acordo com as faixas etárias:  45-54 anos [OR = 2,1; IC 95%(1,4 – 3,3)], 55- 64 anos [OR = 3,3; IC 95% (2,2 – 4,9),  65-74 anos [OR = 3,8; IC 95% (2,7 – 5,8)] e ≥ 75anos [OR = 4,2; IC 95% (2,9 – 7,2)].

 

Conclusões: A associação de maior controle da PA em mulheres, em  faixas etárias mais avançadas,  diabéticos, passado de IAM, não tabagistas e não etilistas, já foi observada na literatura. Uma das hipóteses para explicar essa associação seria uma melhor adesão ao tratamento com prática de hábitos saudáveis de vida e maior uso de medicamentos anti-hipertensivos nesses grupos. Futuros estudos são necessários para corroborar esses achados.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

20 a 22 de junho de 2019
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil